Em clima de diversão, crianças e adolescentes do Núcleo Central – Curitiba/PR conhecem o significado dos elementos que representam a Páscoa

Nariz e bigode de coelhinho enfeitam as crianças e adolescentes do Núcleo Central, em Curitiba, no evento de comemoração à Páscoa.

Mistério, felicidade, atividade física e, é claro, voleibol resumem a comemoração da Páscoa das crianças e adolescentes do Núcleo Central, em Curitiba. Durante os dias 23 e 24 de março, os professores desenvolveram brincadeiras que, além de divertidas, mostraram aos alunos do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná o significado de elementos característicos desta data especial.

Para entrar no clima e começar a brincadeira, todos pintaram o rosto com nariz e bigode de coelhinho e foram divididos em três grupos distinguidos pelas cores branca, azul e amarela. Após o aquecimento, as atividades giraram em torno de enigmas relacionados ao ovo, cruz, coelho, pão e vinho que simbolizam a Páscoa.

Enigma da Páscoa: alunos conhecem o significado do ovo, cruz, coelho, pão e vinho ao mesmo tempo em que se divertem.

Foram criadas quatro estações diferentes, uma para cada elemento. A equipe tinha que se deslocar até uma das estações para executar uma prova (realizar polichinelos, dar uma volta em torno do ginásio, participar da ginástica maluca e passar um arco entre todos os membros da equipe). Após o cumprimento do exercício, o enigma era desvendado. “Gostei muito da atividade! Achei divertida e diferente, pois foi um momento que uniu a reflexão sobre o verdadeiro significado da Páscoa juntamente com o esporte/atividade física. Ambos são muito importantes para o desenvolvimento humano”, revelou o aluno Matheus Funaki, 15 anos, da categoria Super Vôlei.

Participantes do evento celebram o sucesso das atividades com doces.

As atividades envolveram a todos num geral, professores, alunos e estagiários puderam se divertir. Segundo o professor Alexandro Martins, esse ano o projeto buscou realizar uma ação diferente, não apenas entregar balas e doces, mas também ensinar o real sentido na Páscoa, que se perde nas gerações. “Acredito que o objetivo tenha sido alcançado pelo depoimento de diversos alunos e por conversas com os pais”, contou o professor. Ao final, os alunos receberam doces.

Fotos: Divulgação IC.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Professores do Núcleo Central, em Curitiba, participam de Semana Pedagógica

Professores do Núcleo Central se reúnem para discutir o planejamento de aulas para 2016.

Realizada sempre no começo e no meio do ano, a Semana Pedagógica dos professores do Núcleo Central – Curitiba/PR tem como propósito principal o planejamento de ações para os meses subsequentes de aulas e, é claro, a troca de conhecimentos sobre a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol para aperfeiçoar os processos de trabalho. Em 2016, o evento aconteceu entre os dias 25 e 28 de janeiro no campus da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo, onde são realizadas as aulas do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná. O coordenador Fabiano Prado e a professora Gabrielle Benetti do projeto Esporte em Ação, Núcleos São José dos Pinhais/PR também estiveram no encontro.

Semana pedagógica conta com alunos para as atividades práticas.

Na oportunidade, foi realizada a apresentação do calendário do ano e discutidos temas como desenvolvimento técnico pedagógico e planejamento de eventos. “A maioria dos professores tem a metodologia muito bem incorporada, mas sempre estamos mudando ou inserindo novos conceitos”, explicou o coordenador pedagógico do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, Josmar Coelho. A novidade é que a equipe passou a contar com dois novos integrantes, a professora Gabriela Machado, ex-aluna do projeto e já esteve na Semana Pedagógica, e o professor Luiz Fernando Silva.

Equipe de professores discute a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol.

“A semana pedagógica já se consolidou como um evento que tem como característica muita discussão em cima do que produzimos dentro de nosso ambiente de trabalho. é o momento em que os professores cuidadosamente apresentam suas expectativas e críticas muito bem fundamentadas a respeito do processo ensino-aprendizagem. O foco é sempre o aluno”, complementou Josmar.

Fotos: Divulgação IC.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Passeio a parque aquático marca último encontro de 2015 dos alunos de Curitiba e São José dos Pinhais/PR

Saída dos alunos do Núcleo Central – Curitiba/PR: com lanches e roupas de banho em mãos, garotada se prepara para iniciar o passeio.

Passar um dia ensolarado e quente em um parque aquático é prato cheio para diversão, principalmente se 350 crianças e adolescentes estiverem reunidos. Foi isso mesmo o que aconteceu na comemoração de final de ano dos alunos e ex-alunos do Núcleo Central – Curitiba/PR do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná e dos colegas dos Núcleos S. J. dos Pinhais/PR do projeto Esporte em Ação. Juntos eles aproveitaram a segunda-feira, 14 de dezembro, no Panorâmico Parque Clube em Pinhais – município localizado na região metropolitana de Curitiba. A euforia foi geral, nem os professores resistiram ao encanto do local. Pais e responsáveis também foram e ajudaram a ficar de olho na garotada.

Balde gigante é uma das atrações do Panorâmico Parque Clube.

Os mais corajosos enfrentaram os tobogãs mais altos, mas lá tinha opções para todos os gostos. Além de vários escorregadores e piscinas, o brinquedo que mais agradou a garotada foi uma espécie de balde gigante, localizado em cima de uma grande estrutura, que funciona semelhante à queda de uma cachoeira: quando cheio, ele vira e a água cai com bastante força em todos que estão abaixo dele. Os alunos adoraram a brincadeira e até chegaram a contar os segundos na expectativa do banho de água.

O aluno Fernando da Silva, 15 anos, da categoria Vôlei do Núcleo Central, revelou que foi a sua segunda vez no parque aquático com a galera do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná e que se divertiu muito com os colegas. As alunas da categoria Mini 3×3 do projeto Esporte em Ação, Thais Freire, 11 anos, e Larissa Barbosa, 12 anos, também gostaram bastante do passeio. “Muito legal! Não é todo dia que podemos vir ao parque aquático”, comentou Thais satisfeita. A colega Larissa destacou a oportunidade de praticar os valores ensinados na Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol. De acordo com ela, os alunos cooperaram ao levarem doces, salgados, sucos e refrigerantes para comerem e foram responsáveis já que cuidaram de seus pertences e dos colegas mais novos.

Comemoração de final de ano é animada para as crianças e adolescentes dos projetos Esporte em Ação e Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná.

O evento estava previsto para acontecer uma semana antes, mas devido ao mau tempo em Curitiba, foi adiado. Apesar de alguns transtornos, a mudança deixou o ex-aluno Lucas Eidi contente. Ele prestou vestibular para engenharia mecânica e a segunda fase foi realizada na data inicialmente estipulada para o passeio. Alívio para ele e para os demais colegas, pois no dia 14 o sol apareceu e deixou o encontro muito agradável. Sobre a comemoração de final de ano, ele dispensou rodeios: “muito legal”. À tarde foram distribuídos picolés a todos.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Parceira dos Núcleos S. J. dos Pinhais/PR: Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais.

Fotos: Divulgação IC. 

FestiVôlei Compartilhar 2015 promove encontro e boas lembranças entre ex-alunos, alunos e professores do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná

O coordenador do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, Josmar Coelho, relembra bons momentos ao lado de ex-alunas.

O dia 5 de dezembro foi marcado por muito voleibol e boas recordações para quem compareceu ao Núcleo Central – Curitiba/PR. O FestiVôlei Compartilhar 2015 reuniu alunos e ex-alunos do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, promovido pelo Instituto Compartilhar na capital paranaense. O festival foi aberto para toda a comunidade, buscando incentivar a prática do esporte em Curitiba. Ao todo, um pouco mais de 170 pessoas, sendo 60 ex-alunos, estiveram presentes entre integrantes do núcleo e instituições convidadas.

Logo que chegaram ao ginásio da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo, local de realização das atividades do núcleo, os visitantes passaram por uma espécie de museu de recordações, com cartazes contando detalhes sobre o projeto, fotos de antigas turmas e uma série de materiais como camisas, recortes de jornal e medalhas levadas com muito carinho pelos próprios ex-alunos. Para os jogos foram disponibilizadas para os participantes nove quadras de minivôlei, no formato das categorias Mini 3×3 e Mini 4×4. O movimento foi tanto que se formaram filas para jogar, mas ninguém ficava parado por muito tempo. As partidas eram curtas e ao término de cada jogo as duas equipes saiam, possibilitando a prática do voleibol e muita diversão para todos. Ao final, foi feito um sorteio de brindes para os participantes, como camisas, sacochilas e garrafinhas do projeto.

Ex-alunos do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná se divertem jogando contra equipe formada pelos professores do Núcleo Central.

Com o grande número de ex-alunos, as histórias e lembranças do projeto que acontece em Curitiba desde 1997 foram diversas.  A Vanessa Crippa, 23 anos, contou sua história de transformação pelo voleibol: “o projeto foi a melhor época da minha vida”. Vanessa ingressou no projeto em 1998 e, segundo ela, foi graças ao esporte que ela teve acesso a uma formação de qualidade. “Na época meu pai não tinha condições de pagar um colégio particular e praticar no Centro Rexona de Excelência ao Voleibol me proporcionou estudar nas melhores instituições de Curitiba devido a bolsas de estudo que ganhei por causa do esporte”, relembra. Ela ainda conta que além do voleibol os valores aprendidos no projeto também foram importantes para a sua vida: “educação é tudo na vida da gente. Com o professor Alexandro Martins eu aprendi princípios que se aplicam tanto dentro de quadra como na vida”.

A ex-aluna Evelyn Andrade da Silva, de 22 anos, ingressou no projeto em 2002. No mural de fotos ela encontrou uma em que estava presente, se emocionou e matou a saudade dos professores. “No projeto aprendi coisas que melhoraram a minha infância e a minha vida. Isso se comprovou ao chegar aqui e ter tantas lembranças gostosas. Reencontrei professores, como a Tati Ribas, o Josmar Coelho e o Fábio Okazaki (o Fabinho) que foi meu primeiro professor na categoria Baby (atual Mini 2×2)”, relembra.

Participantes do FestiVôlei Compartilhar 2015 acrescentam relíquias ao espaço de lembranças do evento, como camisas, medalhas e até recortes de jornal.

O encontro também foi muito especial para a analista de projetos do Instituto Compartilhar, Ana Elisa Caron, também ex-aluna do núcleo. Ela conta que foi o primeiro festival organizado pelo Compartilhar que buscou reunir ex-alunos e acredita que o FestiVôlei Compartilhar 2015 cumpriu seus objetivos: “fiquei muito feliz com a realização do evento. Era uma iniciativa que queríamos ter feito há muito tempo e que se fez possível em 2015. Foi muito gostoso ver os reencontros de professores e alunos. Certamente precisamos de mais edições”, concluiu Ana.

O FestiVôlei Compartilhar 2015 foi idealizado pelo Instituto Compartilhar em contrapartida aos recursos da Sports United e da Partners of Americas, em virtude do sucesso do projeto Compartilhando um Ideal. Entenda aqui.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC.

Núcleo Central, em Curitiba, promove jogos de voleibol e exibe museu sobre os 18 anos de história do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná

Copa Super Vôlei e quadrangular de voleibol reúnem meninos e meninas entre 16 e 17 anos no Núcleo Central – Curitiba/PR.

A Copa Super Vôlei, evento promovido aos alunos desta categoria do Núcleo Central, em Curitiba, foi um sucesso. Cerca de 170 pessoas estiveram reunidas durante os dois períodos do dia 28 de novembro para participar, assistir a jogos acirrados de voleibol e aprender um pouco sobre os 18 anos de história do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná em Curitiba. A garotada da categoria Super Vôlei entrou em quadra com equipes convidadas de várias instituições da região e colocaram em prática o que aprenderam com o esporte. Paralelamente foi realizado um quadrangular aos ex-alunos do projeto, que não só se divertiram como também ajudaram na arbitragem da Copa Super Vôlei.

A abertura do evento contou com um exercício de solidariedade. Na confirmação de inscrição, os participantes entregaram brinquedos para a campanha de Natal da Associação Cristã de Assistência Social (Acridas). Marcaram presença as equipes da Associação Atlética Banco do Brasil, do Clube Duque de Caxias, Colégio Estadual do Paraná, Colégio Marista, Colégio Militar de Curitiba, Colégio Profª Maria Balbina Costa Dias, da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude de Curitiba e dos municípios de Paranaguá e Piraquara.

Museu de lembranças conta com espaço para participantes deixarem seu recado para o pessoal do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná.

A professora Tatiana Ribas, do Núcleo Central, disse que um dos objetivos da Copa Super Vôlei foi contar um pouco sobre os 18 anos do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: “o tema ‘compartilhando uma história de sucesso’ foi idealizado pelos próprios alunos da categoria Super Vôlei ainda no começo do ano”. A iniciativa proporcionou, além dos jogos, a realização de duas oficinas: um museu onde foram expostas recordações desde o início do projeto na capital paranaense; e a gravação de vídeos em homenagem ao diretor-presidente do Instituto Compartilhar e técnico de voleibol, Bernardinho. Depois de editados, os vídeos serão enviados a ele.

Tatiana contou que o conteúdo do museu ficou resumido, porém explicativo: “foram expostas fotos de eventos e a evolução dos nomes e logos que marcaram o projeto, bem como a história do Rexona (equipe de alto nível que representou Curitiba na Superliga feminina de vôlei)”. A aluna Bruna Prado, 16 anos, da categoria Super Vôlei, gostou do que viu no museu: “foi muito legal entender como essa linda história começou, agradeço o projeto pela oportunidade”.

Participantes praticam valores da Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol como jogadores e árbitros.

A professora Rosana Rocha, também do Núcleo Central, acredita que o evento foi um sucesso. “Gostei muito. Conseguimos mostrar para as pessoas as conquistas do projeto nestes últimos 18 anos e os participantes socializaram muito bem”, comentou Rosana. A aluna Mariana Siqueira, do Colégio Estadual Duque de Caxias, destacou a organização do evento: “foi tudo bem elaborado, os jogos foram divertidos e prevaleceu a cooperação”. Já o professor da equipe da Prefeitura de Curitiba parabenizou os organizadores pelo incentivo ao esporte. “O evento foi tão organizado como os tantos outros que já participei aqui no Núcleo Central, isso sim é promover o voleibol”, destacou. Ao término de cada partida, as equipes votaram nos alunos destaque e Fair Play.

Já o quadrangular, idealizado pelos ex-alunos, buscou reunir aqueles que participaram da primeira turma da categoria Super Vôlei do Núcleo Central. Além de jogarem muito voleibol e matarem a saudade dos professores, os ex-alunos também auxiliaram na organização e arbitragem dos jogos. Desta forma, eles vivenciaram os valores da Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol, como a cooperação, a responsabilidade, o respeito e a autonomia.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC.

Aluno do Núcleo Central, em Curitiba, representa o Paraná e conquista segundo lugar no campeonato brasileiro de seleções estaduais sub-16 de voleibol

Fernando Mathias (abaixado) comemora com a seleção paranaense masculina de voleibol sub-16, vice-campeã brasileira.

Entre os dias 13 e 17 de outubro ocorreu a Taça Sami Mehlinsky, primeira edição do campeonato brasileiro de seleções estaduais sub-16 realizada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). A seleção paranaense masculina conquistou o vice-campeonato, após perder a final para a equipe do Rio de Janeiro por 3 sets a 2. Mesmo assim, os meninos do sul mandaram muito bem, inclusive Fernando Mathias, 15 anos, que além de ponteiro da equipe, é aluno do Núcleo Central, em Curitiba, do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná do Instituto Compartilhar.

Fernando participa das aulas do projeto desde 2012 quando ingressou na categoria Mini 3×3 da Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol, destinada a crianças e adolescentes com idades entre 11 e 12 anos. Um dos professores do Núcleo Central, Alexandro Martins, é hoje quem acompanha Fernando nas aulas da categoria Vôlei (para adolescentes com 14 e 15 anos), e também foi ele quem recebeu o aluno no projeto: “eu fui professor do Fernando no Mini 3×3 e pude acompanhar de perto o desenvolvimento que ele teve nestes últimos anos”. Alexandro ressalta que essa convocação é fruto do trabalho do próprio aluno e destaca a importância da metodologia nesse processo. “Essa oportunidade é resultado do esforço que ele teve. Com o auxílio da metodologia (que também trabalha valores de cidadania) ele conseguiu se desenvolver muito bem, tanto como atleta quanto como pessoa”, comenta o professor.

Aluno do Núcleo Central/PR revela que a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol foi fundamental para seu crescimento como atleta.

Para Fernando, os valores – principalmente cooperação, responsabilidade, respeito e autonomia – passados durante as aulas e eventos foram cruciais para a sua formação como atleta: “tudo que eu aprendi sobre voleibol eu aprendi no projeto. Durante o torneio eu pude conhecer outros atletas e percebi que muitas coisas que eles passam aqui (Núcleo Central), como os valores, não são passadas por outras instituições”. O adolescente conta que ficou muito feliz com a convocação e que a competição foi uma ótima oportunidade para ganhar experiência. “Foi muito gratificante, tive a chance de conhecer um dos berços do voleibol no Brasil, que é a cidade de Saquarema/RJ, e ainda pude representar o meu estado. Foi uma alegria imensa”, explica contente. Sobre seguir carreira com o voleibol, Fernando não pensa duas vezes. “Participar deste campeonato só me faz crescer como atleta. A gente sempre busca um futuro, ainda mais no esporte que a gente ama. Espero ter mais oportunidades como essa e, quem sabe, seguir carreira no voleibol”, concluiu empolgado.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Federação Paranaense de Voleibol e Divulgação IC. 

Acadêmicos de educação física da Faculdade Dom Bosco visitam Núcleo Central, em Curitiba, e conhecem a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol

Analista de projetos do Instituto Compartilhar, Vinicius Petrunko, e a professora de educação física da Faculdade Dom Bosco, Elisangela Ananias, trocam experiências durante visita.

As aulas do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná foram fundamentais para que os acadêmicos de educação física da Faculdade Dom Bosco pudessem compreender como funciona a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol. Acompanhados da professora de educação física da instituição, Elisangela Ananias, eles foram até o Núcleo Central, em Curitiba, no dia 26 de outubro. Entre outras curiosidades, eles estavam dedicados a entender na prática a importância de um bom planejamento de aula. A experiência agradou os jovens e também os profissionais do Instituto Compartilhar.

Os acadêmicos acompanharam as aulas de minivôlei do período da manhã, das categorias Mini 3×3 e Mini 4×4. O analista de projetos do Instituto Compartilhar, Vinicius Petrunko, acompanhou a turma e conforme as atividades aconteceram em aula, ele explicou os princípios da metodologia. “Dei ênfase na importância de planejar e como fazer isso no dia a dia em qualquer esporte. Exemplifiquei como nossos professores lidam com este processo”, conta Vinicius.

Já no dia 27, o analista de projetos fez uma apresentação na faculdade Dom Bosco para os estudantes do período da noite, que não puderam se dirigir até a sede do projeto no dia anterior. Vinícius destacou a participação dos acadêmicos, tanto nas atividades na sede do núcleo como na palestra na faculdade. “De uma maneira geral foi muito bom, eles se demonstraram muito interessados e se envolveram nas atividades”, concluiu.

Acadêmicos de educação física da faculdade Dom Bosco observam de perto a aplicação da Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Atividades sobre sustentabilidade e doação de sangue movimentam alunos do Núcleo Central, em Curitiba

Alunos do Mini 4x4 observam cartazes dos colegas sobre como economizar água.

Os alunos das categorias Mini 4×4 e Vôlei do Núcleo Central, do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, participaram de atividades diferentes no sábado, dia 19 de setembro. Durante a manhã, a garotada do Mini 4×4, 13 anos de idade, se divertiu e aprendeu bastante com jogos de minivôlei e oficinas sobre a economia da água. Pela tarde, os integrantes da categoria Vôlei, 14 e 15 anos, tiveram as atividades voltadas para a doação de sangue. Ao todo, quase 250 pessoas estiveram presentes entre alunos, professores, pais e responsáveis.

O trabalho de economia de água já foi realizado durante todo o ano com a turma do Mini 4×4. Em maio, quando houve outro festival da categoria, eles apresentaram uma conta de água de suas casas e no dia19 levaram outra, referente ao mês de setembro para verificar o quanto eles conseguiram economizar durante este período. Nesse desafio, duas alunas foram premiadas, a Bianca Sanches, de 13 anos, por ter a maior redução no gasto da água e a Larissa França, de 14 anos, por ter sido a que menos consumiu durante os 5 meses da experiência. Na semana antecedente ao evento, eles também fizeram cartazes sobre sustentabilidade e como foram as experiências para reduzir o consumo em suas casas. A aluna Leticia Gabrielli, de 13 anos, gostou muito da iniciativa e ficou feliz de poder compartilhar com os colegas as suas ideias de como economizar água. “Eu gostei dos cartazes porque a gente pode aprender um com o outro”, comentou Leticia.

O festival deste sábado foi regado a muito voleibol e conscientização.

Durante o evento eles também jogaram muito voleibol. Os participantes foram divididos em diversas equipes separadas por gênero e a dinâmica facilitou para que todos times jogassem entre si, favorecendo a troca de experiências, amadurecimento emocional e melhora da prática esportiva. A professora Dayane Prado destacou a vontade dos participantes durante os jogos. “Pude perceber que os alunos gostaram do formato competitivo, eles se dedicaram bastante para que pudessem ganhar uma medalha. Gostei muito desse festival”, ressaltou Dayane.

Já o período da tarde foi dedicado aos adolescentes da categoria Vôlei, o tema trabalhado foi a doação de sangue, e da mesma maneira que os colegas do Mini 4×4, eles também tiveram atividades sobre a questão nos meses antecedentes ao evento. Durante as aulas, os alunos receberam diversos informativos sobre a importância de doar e foi lançada uma campanha para incentivar pais, responsáveis e amigos – maiores de idade. No dia do festival, os alunos que levaram comprovantes de doação receberam camisetas, sacochilas e garrafinhas do projeto.

Outra ação de solidariedade foi a arrecadação de materiais de higiene pessoal (sabonete, shampoo, escova de dente) que foram entregues para o pessoal da Associação Terapia Intensiva do Amor (TIA), uma das instituições convidadas para o evento. A turma da TIA fez uma peça teatral que, na base do improviso, divertiram os adolescentes e responsáveis sem deixar de lado a importância de doar sangue. Universitários do curso de biomedicina da UniBrasil também estiveram presentes para fazer exame da tipagem sanguínea dos adultos e daqueles que levaram as autorizações assinadas pelos responsáveis. O aluno João Vitor Gonçalves, de 15 anos, adorou a iniciativa: “gostei muito de aprender sobre a doação de sangue. É muito bom poder ajudar os outros”.

Universitários de biomedicina da UniBrasil faz testes de tipagem sanguínea nos alunos do Núcleo Central.

O momento dos jogos também teve formato competitivo, só que um pouco diferente do que os integrantes do projeto estão acostumados. Os alunos foram divididos em duplas, para que eles se juntassem com outras duas duplas e formassem uma equipe de seis. Assim, eles formaram times distintos a cada partida, oportunizando premiação a quem não se destaca em eventos competitivos. O professor Alexandro Martins disse que arriscar um formato diferenciado valeu a pena. “Na elaboração do festival pensamos em mudar o modelo da competição, que geralmente era a formação fixa das equipes e a utilização de tabelas para controle dos jogos, para a mudança constante das equipes através das duplas e premiações nessas duplas. Foi mais trabalhoso para os professores, mas os valores ficaram mais evidenciados”, avalia o professor.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Atividades sobre meio ambiente e artes circenses contagiam o Núcleo Central, em Curitiba, durante Festivais de Minivôlei

Alunos da categoria Mini 2x2 do Núcleo Central praticam esporte com valores com colegas do Colégio da Polícia Militar do Paraná.

Os alunos do Mini 2×2 e Mini 3×3 do Núcleo Central, do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, participaram de atividades diferentes no sábado, 29 de agosto. Durante a manhã, as crianças da primeira categoria, com nove e 10 anos de idade, e os colegas convidados do Colégio da Polícia Militar do Paraná (CPM) se divertiram e aprenderam bastante com jogos de minivôlei, brincadeiras e oficinas sobre sustentabilidade e meio ambiente. Pela tarde, os alunos do Mini 3×3 praticaram artes circenses com acadêmicos da Faculdade Dom Bosco. Não é difícil imaginar a empolgação da garotada. Mais de 300 pessoas estiveram presentes, entre alunos, professores, pais e responsáveis.

Os participantes do festival da categoria Mini 2×2 foram divididos em quatro grupos que se revezaram em quatro áreas principais: duas para a prática do vôlei e duas para gincana e oficina de sustentabilidade e meio ambiente. Atividades diferentes, como o vôlei cego – em que um lado da quadra não vê o outro – e o vôlei do lençol – ao invés de jogar com as mãos, os participantes usam lençóis –, fizeram a alegria das crianças e colegas convidados. Eles também ficaram livres para jogar em quadras de Mini 2×2 para praticar o que aprenderam com os professores, inclusive o valor cooperação trabalhado nesta categoria. O aluno Gabriel dos Santos, 9 anos, do Mini 2×2, disse que gostou de poder jogar com o pessoal do Colégio da Polícia Militar.

Pais e responsáveis participam das atividades promovidas à garotada.

Os pais também participaram das gincanas e puderam ajudar as crianças na construção de bonecos ecológicos, feitos com meia-calça, botões, areia e alpiste, e no jogo do tabuleiro ecológico, com o qual elas aprenderam um pouco sobre preservação da natureza, reciclagem, economia de água e de luz. Após os grupos passarem por todas as áreas, os pais puderam jogar com os alunos, o que surpreendeu Marcelo Amâncio, pai do Leonardo Amâncio, do CPM. “Achei muito legal essa interação entre as crianças, mas o que eu não esperava mesmo era que os pais fossem chamados para jogar. Acabei de bater uma bola com o meu filho, foi muito bom”, comentou feliz. Ao final, todos ganharam medalhas. A professora Rosana Roberta, do CPM, que fez parte do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná durante 13 anos, ressaltou a qualidade do evento e a importância do projeto. “O evento foi maravilhoso, é lindo de ver o que esse projeto faz, as crianças cooperando, uma interagindo com a outra, foi muito bom, estão todos de parabéns”, elogiou Rosana. Os adolescentes da categoria Vôlei e Super Vôlei foram essenciais durante o evento, tanto na organização como nas atividades.

Já a parte da tarde foi dedicada aos alunos do Mini 3×3, e o tema do festival foi artes circenses. Os pais e alunos presentes foram divididos em quatro grupos e alocados em duas áreas. A primeira delas contou com seis quadras com jogos livres para a prática do voleibol, e a segunda com três oficinas. Nelas, as crianças puderam, junto com os pais, fazer bolinhas para malabares, com feijão, pedaços de saco de lixo e bexigas, aprender a fazer acrobacias, atividades de equilíbrio e até uma pirâmide humana, tudo isso com o auxílio dos acadêmicos da Faculdade Dom Bosco.

Participantes comemoram sucesso do evento que teve como tema “artes circenses”.

A mãe da aluna Maria Eduarda Martins, 11 anos, Fátima Martins, gostou muito do festival, inclusive parabenizou os professores. “As brincadeiras foram fantásticas, foi muito bom conhecer pessoas novas. Queria dar os parabéns pela maneira usada para interagir os pais e os alunos”, comentou a mãe. Em uma pesquisa anônima os alunos gostaram muito do festival, um deles gostou tanto que ele acredita ser o melhor festival de sua vida. Outro já foi mais pontual, e destacou atividades. “Foi muito legal. A parte das oficinas e o vôlei. Gostei muito”. Os alunos presentes ganharam medalhas do festival e os pais e responsáveis não ficaram fora dessa. Eles também saíram vencedores do evento, afinal de contas, a participação e envolvimento deles com as atividades do projeto merece destaque.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Lar dos Idosos Recanto Tarumã e Acridas recebem visita emocionante dos alunos do Super Vôlei do Núcleo Central, em Curitiba/PR.

Lar dos Idosos Recanto Tarumã recebem meninas da turma do Super Vôlei do Núcleo Central, em Curitiba.

Conhecer realidades de vida diferentes pode ser bastante inspirador, ainda mais quando a intenção é dividir alegria, companhia e muito carinho. Foi neste clima de cidadania e boas intenções que os adolescentes do Super Vôlei do Núcleo Central realizaram duas visitas especiais. As meninas foram ao Lar dos Idosos Recanto Tarumã, no dia 24 de junho, e os meninos à Associação Cristã de Assistência Social (Acridas), no dia 30 do mesmo mês. A iniciativa partiu dos profissionais do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná que encontraram uma maneira diferente de praticar com os alunos os valores da Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol.

De acordo com a professora Tatiana Ribas, neste ano a proposta é dar oportunidade para que os alunos do Super Vôlei participem do planejamento de ações do Núcleo Central e, desta forma, coloquem em prática o valor autonomia. A escolha de temas para os jogos da categoria e brincadeiras para a tradicional festa junina já fizeram parte da estratégia, mas a escolha das instituições que eles apresentaram interesse em visitar, fechou o primeiro semestre com chave de ouro. E não foi só isso: eles foram solidários e levaram alimentos arrecadados no Grand Prix 2015 (evento de vôlei organizado pelo núcleo). Na ocasião, o núcleo recebeu cerca de 100kg de doações.

Adolescentes abraçam a causa do Lar dos Idosos e incentivam que mais pessoas também contribuam.

O Lar dos Idosos Recanto Tarumã, atende atualmente 120 idosos, e é destinado ao abrigo de homens (acima de 60 anos), que não possuem condições de manutenção da própria sobrevivência ou que apresentem vulnerabilidade familiar. “Essas pessoas precisam do nosso apoio, do nosso carinho e também de doações. Não podemos esquecer que eles são pessoas como nós e principalmente precisam do nosso apoio”, incentivou a aluna Maria Fernanda Repula, 14 anos. A colega, Glória Hauare, 16 anos, também visitou o Lar dos Idosos e observou: “percebi que muitos idosos têm uma vida sofrida e que muitas vezes são abandonados. É bom saber que existe um lugar que pode atendê-los e proporcionar a eles alegrias de tantas coisas vividas”. E complementou, “tenho que dar mais valor as pessoas mais velhas a minha volta. Foi uma experiência muito boa”.

Já a Acridas trabalha com situações de risco social e pessoal, que fazem com que crianças e adolescentes sejam retiradas de seus lares ou sofram situações de abandono. Para visitar a entidade, os meninos do Super Vôlei contaram com o apoio da Callcar transportes. “A empresa nos cedeu gentilmente uma van com motorista, que ficou à disposição durante toda a tarde”, contou Tatiana. “Chegando lá (na Acridas), eles nos receberam de braços abertos! Visitamos o berçário, o salão de eventos e também a sala de brinquedos”, explicou Nickolas de Araújo, 15 anos. O colega Matheus Kenzo, 14 anos, gostou de ter ido. “Jogamos futebol com algumas crianças de lá e aprendemos que para as pessoas, a atenção e o carinho têm mais importância que o dinheiro”, disse. Nickolas reforçou: “não será o alimento que fará diferença e sim o nosso tempo doado”.

Alunos do Super Vôlei visitam a Acridas e aprendem muito com as crianças e adolescentes da entidade.

As professoras Rosana Rocha e Dayane Prado também acompanharam as visitas ao Lar dos Idosos e Acridas, respectivamente, e ficaram tão emocionadas quanto os alunos. Elas contaram que os adolescentes gostaram da atividade e que aprenderam muito com ela. A expectativa é que sejam realizadas outras ações como esta no segundo semestre. O recado da galera do Super Vôlei é este: “nós compartilhamos um pouquinho de nosso tempo. Que tal você compartilhar também?”.

Para mais informações, entre em contato:

Lar dos Idosos – Recanto do Tarumã

Rua: Konrad Adenauer, 576 – Tarumã, Curitiba/PR.

(41) 3083-4900

Acridas

Rua: Eduardo Geronasso, 1782 Bacacheri, Curitiba/PR.

(041) 3523-5610

Fotos: Divulgação IC.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

 

Notícias Recentes
Leia Mais
7 de abril de 2016
Núcleo Natal/RN recebe visita técnica da analista de projetos do Instituto Compartilhar, Kátia Keller, e encontro é bastante produtivo

Em outra matéria os destaques foram as visitas técnicas realizadas aos núcleos socioesportivos…

Leia Mais
5 de abril de 2016
Profissionais e acadêmicos da área da saúde dão dicas importantes aos alunos do Núcleo Natal/RN do projeto Vôlei em Rede

Orientações de primeiros socorros conquistaram a atenção das crianças e adolescentes do Núcleo…

Leia Mais
1 de abril de 2016
Biblioteca Núcleo Guaratuba é inaugurada e incentiva alunos a desenvolverem o hábito da leitura

Idealizada pela professora de educação física Cássia Graciotto, a Biblioteca Núcleo Guaratuba –…

Leia Mais
Alunos ficam motivados após primeiro festival de 2016 nos Núcleos Lagoa Santa/MG

As crianças e adolescentes dos núcleos Campinho e Santos Dumont – Lagoa Santa/MG…

Leia Mais
31 de março de 2016
Visitas técnicas são realizadas em vários núcleos socioesportivos do Instituto Compartilhar espalhados pelo Brasil

Durante o mês de março a analista de projetos do Instituto Compartilhar, Kátia…

Leia Mais
24 de março de 2016
Em clima de diversão, crianças e adolescentes do Núcleo Central – Curitiba/PR conhecem o significado dos elementos que representam a Páscoa

Mistério, felicidade, atividade física e, é claro, voleibol resumem a comemoração da Páscoa…

Leia Mais
20 de março de 2016
Núcleo Natal/RN participa da 3ª Caminhada pela Inclusão em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down

Os alunos do Núcleo Natal/RN saíram pelas ruas da cidade no domingo, 20…

Leia Mais
4 de março de 2016
Viagem ao Rio de Janeiro/RJ marca formatura dos alunos do Núcleo Central, em Curitiba

A dedicação de mais de 20 adolescentes do projeto Núcleos de Iniciação ao…

Leia Mais
22 de fevereiro de 2016
Evento no Núcleo Natal/RN tem como tema principal a prevenção de doenças como Dengue e Zika Vírus

Com mais de sete mil casos de suspeita de dengue registrados na cidade…