Festa Junina do Núcleo Central – Curitiba/PR diverte famílias e é prova de que com a ajuda de todos é possível fazer um evento muito especial

Ginásio fica lotado: alunos e familiares têm uma tarde agradável e divertida juntos.

Cerca de 400 pessoas marcaram presença no arraiá do Núcleo Central, em Curitiba, realizado no sábado, dia 27 de junho. Os alunos e familiares do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná entraram no clima e fizeram com que a festança ficasse ainda mais bonita e animada. A decoração e as atividades promovidas no ginásio do campus da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo, onde acontecem as aulas de minivôlei, contaram com a colaboração de muita gente interessada no sucesso do evento e, no final das contas, deu tudo certo. A alegria era contagiante com muitas brincadeiras, diversão e comidas típicas de festa junina.

Teve muito caipira arrumado neste arraiá. Quem estava caracterizado, ganhou “nivelecas” logo na entrada do ginásio (como são chamadas as fichas utilizadas para participar das atividades do evento) e ainda pôde concorrer ao prêmio Família Buscapé. Neste ano, sete famílias se inscrevem para o concurso e as três primeiras foram premiadas. Os quesitos para a votação da banca de juradas, composta por alunas do Super Vôlei e ex-alunas, eram: vestimenta, dança, entusiasmo, originalidade e harmonia. Pela segunda vez consecutiva, os vendedores foram os Gonçalves. Para eles, é importante participar e prestigiar o evento. “A festa estava perfeita”, declarou a família que ficou até o final da festa.

Concurso Família Buscapé: participantes entram no clima do arraiá.

Foram muitas as atrações e as mais requisitadas chegaram até a formar filas, como a tradicional pescaria. Teve de tudo: jogo de argolas, boca do palhaço, jogo da lata, cama elástica, cadeia, correio elegante, bingo e jogos cedidos pela Secretaria Municipal do Esporte Lazer e Juventude da Prefeitura de Curitiba (SMELJ), além das brincadeiras de palco, como a corrida de saco, que envolviam a entrega de prêmios e divertiam os presentes. Durante a festa, foram servidos docinhos como maria mole, pé de moleque, paçoca, além de bolos, pinhão, cachorro quente, churros e pipoca.

A festa junina foi resultado do esforço e dedicação de professores, alunos, ex-alunos, familiares e voluntários que se envolveram desde o planejamento do evento até o fim. As crianças do Mini 2×2 e Mini 3×3 ficaram responsáveis pela confecção das bandeirinhas decorativas, já os colegas do Mini 4×4 em pendurá-las por todo o ginásio. Os adolescentes das categorias mais avançadas, Vôlei e Super Vôlei, tiveram várias funções, entre elas organizar o ginásio para o arraiá, e ajudar nas barraquinhas de brincadeiras e comidas. E não parou por aí! Eles levaram prendas e doces para a festa e, em troca, receberam nivelecas.

A voluntária Carlota Queiroz não tem filhos no projeto e se dispôs a ajudar simplesmente porque ama esporte. Sempre que possível está presente nos eventos promovidos pelo Instituto Compartilhar e no arraiá ficou responsável pela recepção. “Muito legal a participação da família! Todos chegam com sorriso no rosto”, disse encantada.

Jogo de argolas, boca do palhaço, jogo da lata, cama elástica, cadeia, correio elegante, bingo e jogos cedidos pela Secretaria Municipal do Esporte Lazer e Juventude da Prefeitura de Curitiba (SMELJ) são algumas das atrações.

Pais e responsáveis deram um show e foram exemplos de cooperação para a garotada, pois auxiliaram no evento como um todo e ficaram responsáveis pelo cachorro quente, preparando e servindo o pessoal. Além disso, o núcleo conseguiu apoio de várias pessoas e instituições que doaram pães, alguns ingredientes para os lanches, brindes para o bingo e para as brincadeiras. Também foram essenciais as parcerias feitas com uma distribuidora de refrigerantes, consultora Mary Kay (de produtos de beleza), carro de churros e com a SMELJ. A renda arrecada no evento será destinada à formatura dos alunos da categoria Super Vôlei (as meninas desta categoria venderam rifas e fizeram um sorteio durante a festa, sendo o prêmio uma cesta de doces) e para a compra de materiais para a reforma do ginásio.

Fotos: Divulgação IC.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Alunos do Colégio Medianeira visitam projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná em Curitiba para aprender mais sobre qualidade de vida

Palestra sobre o Instituto Compartilhar ajuda participantes a compreendem mais sobre projeto social, esporte, ensino de valores e qualidade de vida.

Para entender sobre ganhos na saúde por meio da prática de atividades físicas, cerca de 80 alunos do Colégio Medianeira, em Curitiba, foram ao Núcleo Central do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná vivenciar a prática esportiva. O encontro aconteceu no campus da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo na manhã de quarta-feira, dia 17 de junho, durante as aulas de minivôlei das categorias Mini 3×3 e Mini 4×4. Acompanhados do coordenador da unidade de ensino de oitavo e nono anos do Colégio Medianeira e professor de educação física, Marcelo Pastre, os alunos aprenderam mais sobre qualidade de vida e se divertiram em quadra com os colegas anfitriões.

O gerente executivo do Instituto Compartilhar, Luiz Fernando Nascimento – o Nando – e o coordenador pedagógico do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, Josmar Coelho, prepararam uma breve palestra aos visitantes. Neste momento, explicaram a eles um pouco mais sobre a entidade que trabalha há 18 anos com o voleibol e ensino de valores para promover o desenvolvimento humano por meio do esporte. Depois, todos foram para as quadras, se misturaram com os participantes do núcleo e aprenderam estes benefícios na prática.

Alunos do Colégio Medianeira conhecem a realidade do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná, no Núcleo Central, em Curitiba.

As aulas de campo fazem parte da proposta educativa do Colégio Medianeira, que tem como objetivo buscar excelência na qualidade de ensino e proporcionar aos jovens a construção do conhecimento dentro e fora da sala de aula. Neste bimestre, baseados no tema qualidade de vida, os alunos vivenciaram um pouco de esporte, em especial do voleibol, e com isso também puderam interagir com outros adolescentes, fazer novas amizades, praticar atividade física e, o que é melhor ainda, se divertiram.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Jogos Pan-Americanos 2015 é tema do festival da categoria Mini 2×2 do Núcleo Central – Curitiba/PR

Participantes conhecem uma modalidade esportiva diferente: voleibol sentado.

O primeiro festival do ano das crianças da categoria Mini 2×2 do Núcleo Central, realizado no dia 30 de maio, contou com esportes diferentes do que elas estão acostumadas a praticar no projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná. Durante o encontro que teve como tema os jogos Pan-Americanos 2015, os alunos jogaram badminton e vôlei sentado – com a participação especial do paratleta da Seleção Brasileira de Voleibol Sentado, Carlos Jacó Glemboski. A equipe pioneira desta modalidade no Paraná, Unilehu, também marcou presença no evento, além dos alunos do Supervôlei, ex-alunos do núcleo, pais e familiares.

O objetivo do festival foi apresentar aos alunos alguns esportes que não são tão conhecidos e motivá-los a também praticarem modalidades diferentes. Os professores foram um pouco mais além e, logo no início do encontro, explicaram brevemente aos participantes sobre a tocha e o ritual da pira olímpica na cerimônia de abertura dos jogos Pan-Americanos que, neste ano, serão realizados no Canadá.

Pais e familiares participam junto com as crianças de oficinas para confecção de medalhas e raquetes de tênis de mesa.

Em seguida, Carlos Jacó Glemboski, conversou com os participantes. O bate-papo foi bem produtivo: o paratleta de voleibol sentado contou sobre sua vida e carreira no esporte. Carlos também entrou em quadra com a garotada, pais e familiares e passou a tarde se divertindo com eles. Com certeza, foi uma experiência enriquecedora, principalmente para aqueles que tiveram a oportunidade de praticar a modalidade com o jogador da seleção brasileira.

Além do badminton e vôlei sentado, foram oferecidas duas oficinas bem interessantes: uma para a confecção de medalhas (com forminhas de brigadeiro e fitas decorativas), entregues aos familiares no final do evento; e outra para produção de raquetes de tênis de mesa com papelão. Os alunos fizeram rodízio para participar de todas as atividades, inclusive nos jogos da própria categoria. A aluna Letícia Campelo, 9 anos, gostou do festival: “fiz coisas legais com a minha mãe”, afirmou contente.

Paratleta da Seleção Brasileira de Voleibol Sentado, Carlos Jacó Glemboski, (à dir.) conta suas experiências pessoais e profissionais aos participantes e entra em quadra com eles.

O pai da aluna Rafaela Moro, 9 anos, Marcozalem Moro, resolveu ficar com a filha no evento e não se arrependeu: “foi a melhor coisa do mundo!”, contou. Já a mãe da aluna Carolina de Almeida, 11 anos, Adriana Priscila de Almeida, disse: “é uma ótima oportunidade para os pais participarem da vida dos filhos, valorizando cada conquista e mostrando a eles o quanto são especiais”. Ao final do festival, promovido na Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo – sede do Núcleo Central -, as crianças foram premiadas com medalhas diferentes das dos pais e responsáveis.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Sustentabilidade ambiental é assunto no Núcleo Central – Curitiba/PR

Gestora de educação socioambiental da Sanepar, Rosélis Augusta Presznhuk, ministra palestra a pais e responsáveis do Mini 4x4 presentes no evento.

Alunos e professores do Núcleo Central, em Curitiba, dedicaram o sábado, dia 16 de maio, para se divertir e também debater um assunto muito importante: sustentabilidade ambiental. No período da manhã, aconteceu o festival para os adolescentes da categoria Mini 4×4 e à tarde para a galera do Vôlei. A participação dos pais e responsáveis foi destaque nos dois eventos, pois além de assistirem aos jogos de voleibol dos filhos, eles se envolveram ativamente nas atividades realizadas.

A missão de incentivar a prática de atitudes diárias de respeito com o meio ambiente começou ainda no início do mês, quando os alunos do Mini 4×4, 13 anos, tiveram um bate-papo com a gestora de educação socioambiental da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), Rosélis Augusta Presznhuk. Na oportunidade, eles conversaram sobre a importância água – tema abordado no evento – e foram orientados a levar aos professores uma conta de água da casa do mês de abril. O objetivo foi conscientizá-los sobre consumo e a meta é diminuir os gastos até o próximo festival de minivôlei, previsto para o segundo semestre. A tarefa envolve a participação de toda a família, que já está engajada com a causa.

Martim Alece – da Unidade de Serviço de Educação Ambiental da Sanepar – explica sobre a importância da água por meio de um “dominó gigante”.

No sábado pela manhã, Rosélis, acompanhada de Martim Alece – da Unidade de Serviço de Educação Ambiental da Sanepar –, voltaram ao projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná para realizar mais uma palestra, mas desta vez com os responsáveis. Durante o evento, também foram realizadas brincadeiras sobre conscientização com jogos gigantes para toda a família.  “Eles realizaram uma atividade para descobrir quanto de água consomem por dia e ficaram surpresos com o resultado”, contou Rosélis. A aluna Camila Braga, 13 anos, afirmou convicta: “se cada um cuidar da sua casa e respeitar o meio ambiente teremos um mundo melhor”. O envolvimento com as atividades foi bem positivo, inclusive na hora em que todos (pais e alunos) se reuniram nas quadras e dividiram as funções de arbitrar, cuidar do placar e jogar.

Responsáveis, ex-alunos, professores e alunos se envolvem em atividades na tarde de Festival de Vôlei.

Já durante a tarde, o tema foi a reciclagem de materiais e separação de lixo. Assim como no Mini 4×4, a turma do Vôlei também participou de atividades na semana que antecedeu o festival. Divididos em sextetos, meninos e meninas confeccionaram troféus com material reciclável para serem expostos no festival do dia 16 e participarem de um concurso do troféu mais bonito, votados por pais, alunos e professores. As equipes que confeccionaram os três mais votados ganharam uma garrafinha do projeto.

Logo no início do evento, os professores prepararam uma gincana que aqueceu os adolescentes e os fez praticar a separação correta do lixo. Em seguida, partiram para os jogos realizados em forma de campeonato e o clima era de muita descontração e amizade. Ex-alunos do Núcleo Central e os responsáveis pelos alunos também não ficaram de fora durante a tarde: foram árbitros, auxiliaram na organização da votação dos troféus e receberam mochila e garrafinha em agradecimento. Para encerrar, as equipes que ficaram nos três primeiros lugares dos jogos feminino e masculino receberam medalhas.

Equipes de Vôlei confeccionam troféus com material reciclável.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Jogos Pan-Americanos é tema do Grand Prix realizado no Núcleo Central – Curitiba/PR

Equipes apresentam trabalhos sobre países participantes dos Jogos Pan-Americanos 2015.

Quem esteve presente no Grand Prix da categoria Super Vôlei do Núcleo Central, em Curitiba, realizado no sábado (25 de abril), pôde conferir um evento especial. Além de muito organizado, contou com atividades dinâmicas, educativas, com viés esportivo e cultural, sem falar nos jogos acirrados de voleibol. Estavam presentes equipes do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná do Instituto Compartilhar e de outras instituições da região. O tema do encontro, escolhido pelos próprios alunos, foi os Jogos Pan-Americanos de 2015 com direito a apresentações de trabalhos incríveis das equipes participantes, expostos na chamada Vila Pan.

Bandeiras dos países Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Cuba, Equador, Estados Unidos, Jamaica, México, Peru, Porto Rico, Uruguai e Venezuela decoraram a quadra do ginásio do Campus da Secretaria do Estado do Esporte e do Turismo, onde acontecem as aulas de minivôlei do projeto. Ao lado delas, estavam fixadas em murais pesquisas da história do voleibol de cada país e curiosidades sobre esportes, saúde, política, entre outros. Os participantes puderam se revezar para conhecer os trabalhos dos colegas e eleger aquele que gostaram mais.

Jogos entre times de diversas instituições favorecem a troca de experiências.

Antes dos jogos iniciarem, todos realizaram o juramento do aluno e cantaram o Hino Nacional Brasileiro. Em seguida, os adolescentes receberam figurinhas com a foto de um atleta presente no evento (como o álbum de figurinhas da Copa do Mundo). Assim, eles precisavam troca-las entre os participantes até encontrar as fotos de pessoas que integravam a sua equipe para colar no cartaz referente ao país que estavam representando. Esta dinâmica também facilitou a votação do aluno destaque e o fair play do time adversário, que os próprios alunos elegiam ao final de cada partida.

Além das equipes anfitriãs do Super Vôlei e dos convidados da Prefeitura Municipal de Piraquara, do Colégio Estadual do Paraná, do Colégio da Polícia Militar do Paraná, do Colégio Militar de Curitiba, do Clube Duque de Caxias e da Associação de Voleibol do Paraná (AVP), também estavam presentes ex-alunos do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná que demostraram interesse em participar do Grand Prix. Por serem mais velhos que os demais alunos, os resultados dos jogos deles foram computados como derrotas. Mesmo assim, o aprendizado foi mútuo entre as equipes e todos puderam se divertir. Além disso, os ex-alunos foram fundamentais nas funções de árbitros. Em todos os momentos do evento era possível perceber os valores cooperação, responsabilidade, respeito e autonomia ensinados na Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol.

A aluna do Colégio da Polícia Militar, Aghata Achilles, disse satisfeita: “a organização do evento estava excelente e é uma boa oportunidade para conhecer outros times”. Simone Amorim, mãe da aluna Ana Luiza, 13 anos, levantadora da equipe Duque de Caxias, disse que a filha já fez parte do projeto e que o Instituto Compartilhar está de parabéns.

Participantes completam “álbum” de times com fotos dos colegas e votação de alunos destaque e fair play.

Os professores das equipes convidadas também fizeram elogios. “Vocês são superorganizados, competentes e é sempre muito bom estar participando de um campeonato onde o principal objetivo é o aluno/atleta. Parabéns mais uma vez”, revelou a professora do Colégio Militar, Marilin Silva. Já o professor Egnon, da Prefeitura Municipal de Piraquara, disse: “Excelente! Sou fã incondicional desse projeto”.

As premiações contaram com o auxilio da professora do Colégio Militar, ex-jogadora olímpica e medalhista, Kely Fraga. A AC Plotagens foi parceira do evento, bem como a Casa da Horta e Big Pão, que realizaram doações.

Fotos: Divulgação IC

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Reunião de pais e comemoração ao aniversário de Curitiba/PR agitam final de semana no Núcleo Central

O final de semana dos dias 28 e 29 de março foi bastante agitado para professores, alunos e responsáveis do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná. No sábado, os pais participaram da reunião sobre o andamento do projeto em 2015 e no domingo, o Núcleo Central montou uma estrutura de miniquadras no Parque Barigui, em parceria com a Prefeitura, para comemorar o aniversário de Curitiba, cidade sede do Núcleo Central.

Reunião de pais esclarece dúvidas e divulga planejamento de eventos de 2015.

Reunião de pais esclarece dúvidas e divulga planejamento de eventos de 2015.

Para informar aos pais e responsáveis dos alunos sobre o planejamento do ano, explicar as regras de funcionamento do projeto e os objetivos do Instituto Compartilhar, a reunião de pais foi dividida em dois horários: um para responsáveis de alunos novos e outro para de alunos antigos. Para Eliane Kozak, responsável pela nova aluna Marjorie Kozak, 9 anos, a reunião foi bastante esclarecedora sobre o andamento do projeto e onde o Instituto Compartilhar quer chegar. “Minha intenção de inscrever a Marjorie no esporte era que ela pudesse conviver com outras crianças, e assim ter mais”, conta a responsável. A aluna Marjorie também já está gostando das aulas: “professoras são muito atenciosas porque como eu sou nova e não tenho muita noção, elas me ensinam com paciência”.

Em comemoração ao aniversário de Curitiba, Núcleo Central monta estrutura de miniquadras no Parque Barigui.

Em comemoração ao aniversário de Curitiba, Núcleo Central monta estrutura de miniquadras no Parque Barigui.

Já no domingo, apesar da chuva do final de semana, os professores, alunos do Super Vôlei e ex-alunos montaram quatro miniquadras de voleibol no Parque Barigui para fazer parte da comemoração do aniversário de Curitiba. Pelas quadrinhas passaram diversas crianças, adolescentes, jovens e adultos para jogar e se divertir. A prefeitura de Curitiba montou uma estrutura de muitas brincadeiras, shows, atrações artísticas, brinquedos infláveis além da oferta de serviços e apresentações de projetos das secretarias municipais. O Instituto Compartilhar aproveitou para divulgar o projeto e convidar mais crianças e adolescentes a participar das aulas.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via lei de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC

Alunos do Super Vôlei do Núcleo Central – Curitiba/PR vão ao jogo do Rexona em Rio do Sul/SC em comemoração à formatura

Bernardinho, diretor presidente do Instituto Compartilhar e técnico do Rexona, e a levantadora reserva Roberta Ratzke carinhosamente recebem alunos do Super Vôlei.

Bernardinho, diretor presidente do Instituto Compartilhar e técnico do Rexona, e a levantadora reserva Roberta Ratzke carinhosamente recebem alunos do Super Vôlei.

Todo encerramento de uma fase, quando foi prazerosa, é um pouco triste. Mas alunos da turma Super Vôlei de 2014 se organizaram para que a despedida do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná fosse inesquecível. É que no dia 27 de janeiro, 13 meninos e meninas do Núcleo Central – Curitiba/PR que concluíram a passagem pelo projeto tiveram a oportunidade de ir até Rio do Sul/SC, a 290 km da capital Paranaense, para acompanhar o dia da equipe Rexona feminina de voleibol do Rio de Janeiro e assistir ao jogo pela Superliga 2014/15. A ocasião marcou a formatura destes adolescentes que arrecadaram fundos durante o ano de 2014 para realizar a ação.

Às 6 horas da manhã os adolescentes, professores e coordenadores do projeto saíram de van cheios de expectativas e assim que chegaram em Rio do Sul foram direto assistir ao treino das atletas no ginásio. Neste momento foi interessante ver como elas se preparam no dia do jogo e os alunos observaram atentos a cada movimento. Em seguida, as atletas receberam os adolescentes na quadra, foram atenciosas, distribuíram autógrafos e tiraram fotos.

 Em almoço com as atletas, aluno Lucas Eidi, senta-se à mesa com Roberta e a líbero Fabi.

Em almoço com as atletas, aluno Lucas Eidi, senta-se à mesa com Roberta e a líbero Fabi.

Um dos momentos mais esperados pelos jovens foi o almoço no restaurante do hotel integrando as profissionais e os alunos. Alguns mais corajosos até arriscaram sentar à mesa com as atletas: “Posso sentar com vocês?”, pediu o aluno Lucas Eidi Funaki, 16 anos, à líbero Fabi e à levantadora reserva e ex-aluna do projeto, Roberta Ratzke. Quando enfim, as atletas foram descansar, os adolescentes foram ao ginásio para “bater uma bolinha” na quadra oficial.

Enfim, a noite, toda a emoção dos meninos e meninas foi transformada em gritos de torcida com olhar atento a cada jogada, movimentação e técnica. A equipe Rexona ganhou o jogo por 3 sets a 1, mantendo a liderança na Superliga Feminina 2014/15. Segundo a professora Tatiana Ribas, que acompanhou o grupo durante o ano e na viagem, este foi um momento inesquecível não só para os alunos, mas para os professores. “Esta turma do Supervôlei sempre foi muito unida. Eles quiseram organizar esta formatura e compraram a ideia. Fizeram eventos de arrecadação de dinheiro e correram atrás do que queriam”, conta emocionada.

Entenda a turma Super Vôlei criada em 2013, clicando aqui.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná:
Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei de Incentivo ao Esporte: Unilever, Ministério do Esporte e Lei de Incentivo ao Esporte.

 

Com ginásio vazio e atletas descansando, os adolescentes e professores aproveitam para bater uma bolinha na quadra oficial do campeonato.

Com ginásio vazio e atletas descansando, os adolescentes e professores aproveitam para bater uma bolinha na quadra oficial do campeonato.

Cerca de 200 adolescentes participam da Copa Vôlei do Núcleo Central, em Curitiba, do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná

Equipes colocam em prática habilidades técnicas do voleibol e valores como cooperação, respeito e autonomia.

A paixão pelo voleibol reuniu profissionais de educação física e centenas de adolescentes para a Copa Vôlei, evento realizado no dia 22 de novembro pelo Núcleo Central do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná. Além de praticar o esporte com habilidade, alunos de diversas instituições tiveram que ser criativos para participar da Oficina de Empreendedorismo. O sábado rendeu momentos de união, companheirismo, felicidade, força de vontade e entusiasmo. Pais e familiares prestigiaram o evento e torceram pela garotada.

Os anfitriões do evento, alunos da categoria Super Vôlei do Núcleo Central, estavam mais ansiosos do que nunca. Eles ajudaram no que foi preciso para receber as equipes convidadas da Associação de Voleibol do Paraná, dos colégios estaduais Isolda Schmid, Profª Maria Balbina Costa Dias, Santa Cândida, Yvone Pimentel, do Colégio Estadual do Paraná, Colégio Militar e da Prefeitura Municipal de Piraquara. Os adolescentes da categoria Vôlei do projeto e ex-alunos, responsáveis pela arbitragem das partidas e contagem dos pontos, também estavam na expectativa para que tudo ocorresse como o esperado. Mesmo não participando dos jogos de voleibol, eles se comprometeram e executaram suas funções com maturidade.

Também participaram do evento os alunos da categoria Vôlei do Núcleo Guaratuba/PR – que estiveram presentes na Copa Vôlei por mérito conquistado na Campanha Compartilhar Fidelidade do Instituto Compartilhar. Inicialmente implantada em três núcleos do projeto, a campanha envolve contagem de pontos e premiações aos alunos e turmas que realizam ações positivas durante as aulas de minivôlei. Por meio dela, crianças e adolescentes de outras categorias do Núcleo Guaratuba também puderam ir ao evento, assistir aos colegas, torcer por eles e ainda passear por Curitiba. “Gostei da Copa Vôlei, mesmo ganhando apenas o último jogo, pois é que nem minha Prof.ª Cássia falou: ‘não importa se vocês vão ganhar ou perder, o importante é se divertir e pensar que assim vocês vão ganhar experiência e conhecimento! ’”, contou Anna Beatriz Lobo, 13 anos, da categoria Vôlei do Núcleo Guaratuba.

Oficina de Empreendedorismo: participantes do evento criam propostas inovadoras para o esporte.

Antes mesmo de dar início as atividades da Copa Vôlei, os professores de educação física das instituições convidadas participaram de um congresso técnico para esclarecer questões sobre o regulamento dos jogos. Em seguida, por meio de um vídeo, eles puderam conhecer mais sobre a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol. Para abrir oficialmente o evento, houve apresentação das equipes, canto do Hino Nacional Brasileiro e juramento do atleta.

Os jogos foram acirrados, mas os professores estavam a todo o momento incentivando os alunos. Além disso, estavam de olho no desempenho dos adolescentes, que jogavam nos outros times, para votar nos alunos destaque de cada equipe, aqueles que tiveram melhor desempenho quanto aos fundamentos técnicos de jogo. Também escolheram meninos e meninas que colocaram em prática valores como cooperação, respeito e autonomia, os alunos Fair Play. Os mais votados foram premiados com um kit do Instituto Compartilhar que continha mochilinha, squeeze e chaveiro. “Foi um jeito gostoso de aprender valores com cooperação e amizade”, disse a aluna da categoria Super Vôlei do Núcleo Central, Valéria Espindola, 15 anos.

A Oficina de Empreendedorismo surpreendeu tanto quanto os jogos. Nela, os alunos puderam apresentar propostas inovadoras e até gravar um vídeo. “Deu para ver bem de perto como os participantes estavam ansiosos e felizes em mostrarem suas ideias relacionadas ao tema ‘voleibol é meu esporte’”, contou a assistente administrativo do Instituto Compartilhar, Juliane Becker, responsável pela oficina. As três melhores propostas foram editadas e apresentadas em um único vídeo ao final do evento. A primeira equipe colocada recebeu um kit que continha mochilinha, squeeze e o livro do técnico Bernardinho, “Transformando Suor em Ouro”. Além das ideias, os participantes conferiram no vídeo de encerramento uma mensagem de incentivo da levantadora da equipe Rexona-AdeS, Fofão. “Muitos ficaram bem surpresos! Conseguimos perceber que todos curtiram esse momento”, relatou a professora do Núcleo Central, Tatiana Ribas.

Cerca de 200 adolescentes se reúnem para a Copa Vôlei promovida pelo Núcleo Central, em Curitiba, do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná.

“Excelente competição que além da integração dos alunos visou agregar valores em nossos jovens”, afirmou Marilin Silva, professora de educação física do Colégio Militar. Para a professora do Núcleo Central, Rosana Rocha, foi um dia especial: “conseguimos perceber vários sentimentos como ansiedade, nervosismo, preocupação, calma, prazer e felicidade nos rostos dos alunos, isso mostra mais uma vez a importância desses eventos para eles”, concluiu.

As equipes que se destacaram nos jogos ganharam medalhas. Entre as meninas, as alunas do Colégio Estadual Santa Cândida ficaram em quarto lugar; a turma Dove, do Núcleo Central, ocupou o terceiro lugar; as equipes do Colégio Estadual do Paraná e da Prefeitura Municipal de Piraquara ficaram em segundo e primeiro lugares, respectivamente. Entre os meninos, a quarta posição ficou para os alunos da turma Axe, do Núcleo Central; a terceira para os colegas do Colégio Militar do Paraná; a segunda e primeira posições foram conquistadas pelas equipes do Colégio Estadual do Paraná e da turma AdeS, do Núcleo Central, respectivamente.

Saiba mais sobre a categoria Super Vôlei, aqui.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC.

Categoria Super Vôlei do Núcleo Central – Curitiba/PR tem proporcionado experiências interessantes a adolescentes

Meninos do Super Vôlei participam, em 2014, da Taça Paraná, principal competição de voleibol realizada no estado.

Desde 2013, os alunos do Núcleo Central que passam por todas as categorias de minivôlei do Instituto Compartilhar, Mini 2×2, Mini 3×3, Mini 4×4 e Vôlei, têm a oportunidade de continuar as atividades do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná por mais dois anos. A iniciativa busca contemplar adolescentes que mantém notas boas na escola como forma de incentivar a educação formal. Além disso, é uma maneira de retribuir o carinho de alunos que participam de todas as categorias, saem do projeto e, mesmo assim, aparecem nas aulas de voleibol para ajudar os professores e reviver momentos bons com o esporte. Na categoria Super Vôlei é preservada a Metodologia Compartilhar de Iniciação ao Voleibol, mas as aulas são voltadas a treinos para competições realizadas dentro do estado, sem pretensão de formar atletas.

Conhecimento técnico e conselhos táticos dos profissionais auxiliam as equipes a conquistarem desempenhos positivos com o esporte.

Assim como nas demais categorias, meninos e meninas das quatro turmas do Super Vôlei também praticam os valores cooperação, responsabilidade, respeito e autonomia. Eles mesmos escolheram o nome da categoria e estipularam a média 7 para as notas, critério que será adotado para a entrada de alunos provenientes do Vôlei nos próximos anos. Outra característica marcante é que os alunos também escolhem o nome das turmas, que sempre representam marcas da Unilever, parceira institucional e dos projetos Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná e Vôlei em Rede, Núcleos Rio/RJ do Instituto Compartilhar. Rexona e AdeS foram as marcas escolhidas pelas duas turmas de alunos nascidos em 1998; já os nascidos em 1999 escolheram Dove e Axe.

As turmas de Super Vôlei podem eleger atletas profissionais e exemplos de determinação aos adolescentes como madrinhas e padrinhos. O objetivo desta ideia simples e, ao mesmo tempo, cativante, é inspirar e motivar os adolescentes, aproximando-os ainda mais do esporte. Os meninos que inauguraram as primeiras turmas desta categoria tiveram a oportunidade de fazer o convite pessoalmente à levantadora da equipe Rexona-AdeS, Fofão, e a líbero, Fabi, na final da Superliga Feminina 2013/2014. A ponteira, Amanda, e a levantadora, Roberta, foram chamadas para serem madrinhas das turmas das meninas. Como mora em Curitiba/PR, Roberta pôde participar de um festival de minivôlei promovido pelo Núcleo Central, no dia 17 de maio, e se envolveu nas atividades entregando a premiação aos alunos. O momento foi de emoção e alegria.

Jogos promovidos pelo Núcleo Central são oportunidades para treinar todo conhecimento adquirido durante as aulas, inclusive os valores do esporte.

Desde quando a categoria Super Vôlei foi criada, passou a existir uma aproximação ainda maior entre os alunos e os professores do projeto. O carinho entre eles é recíproco e a despedida prolongada do projeto acaba se tornando ainda mais difícil. Para tornar este momento mais descontraído e com boas histórias para contar, a garotada das turmas de 1998, que em 2014 deixam de frequentar as aulas e treinos de voleibol, vão fazer uma viagem com os amigos, viabilizada por meio de arrecadação de recursos provenientes de ações e eventos realizados pelo núcleo, como a Festa Junina.

Parceiros do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol no Paraná: Governo do Estado do Paraná e Unilever. Via Lei Federal de Incentivo ao Esporte: Unilever e Ministério do Esporte.

Fotos: Divulgação IC. 

Alunos do Instituto Compartilhar participam da principal competição de categorias de base do voleibol

Em evento competitivo, alunos aplicam valores de respeito e cooperação.

Em evento competitivo, alunos aplicam valores de respeito e cooperação.

Mesmo com trabalho de valores em todos os momentos da aula para cumprir com a missão do desenvolvimento humano por meio do esporte, o Instituto Compartilhar se compromete a ensinar bem o voleibol aos alunos, com foco em fundamentos e gestos técnicos. Por isso, alguns alunos se destacam e conseguem ser contratados por clubes com objetivos de formar equipes competitivas. A principal competição de voleibol de base do Brasil, a Taça Paraná, que aconteceu entre os dias 29 de outubro e 2 de novembro, reuniu alguns desses alunos. Além deles, a turma de meninos da categoria Super Vôlei do Núcleo Central – Curitiba/PR do projeto Núcleos de Iniciação ao Voleibol participou dos jogos.

 

 

Herick Enzo Alves do Núcleo Higienópolis – Rio/RJ do projeto Vôlei em Rede representa equipe do Flamengo.

Herick Enzo Alves do Núcleo Higienópolis – Rio/RJ do projeto Vôlei em Rede representa equipe do Flamengo.

“É importante para os alunos estarem em um ambiente como este, com vários jogos competitivos acontecendo ao mesmo tempo. Isso motiva e inspira sonhos. Estou feliz com a participação deles”, declara a professora da categoria Super Vôlei do Núcleo Central, Tatiana Ribas. O aluno Herick Enzo Alves, 13 anos, do Núcleo Higienópolis – Rio/RJ do projeto Vôlei em Rede, que representou a equipe do Flamengo, conta a importância do projeto na sua iniciação. “Comecei a jogar vôlei lá no projeto com a professora Rosane (Muricy) me incentivando muito e hoje estou aqui, parece até que sou profissional”, revela. “Vou levar para meus amigos do Vôlei em Rede a minha experiência adquirida aqui, em relação ao respeito aos adversários e a importância de comemorar cada ponto”, finaliza Herick. Ainda do Núcleo Higienópolis e representando também o Flamengo, estava o aluno Luís Fernandes Soares.

Saiba mais sobre a Taça Paraná em: http://tacaparanadevolei.com.br/index.php
Fotos: Divulgação IC

Notícias Recentes
Leia Mais
7 de abril de 2016
Núcleo Natal/RN recebe visita técnica da analista de projetos do Instituto Compartilhar, Kátia Keller, e encontro é bastante produtivo

Em outra matéria os destaques foram as visitas técnicas realizadas aos núcleos socioesportivos…

Leia Mais
5 de abril de 2016
Profissionais e acadêmicos da área da saúde dão dicas importantes aos alunos do Núcleo Natal/RN do projeto Vôlei em Rede

Orientações de primeiros socorros conquistaram a atenção das crianças e adolescentes do Núcleo…

Leia Mais
1 de abril de 2016
Biblioteca Núcleo Guaratuba é inaugurada e incentiva alunos a desenvolverem o hábito da leitura

Idealizada pela professora de educação física Cássia Graciotto, a Biblioteca Núcleo Guaratuba –…

Leia Mais
Alunos ficam motivados após primeiro festival de 2016 nos Núcleos Lagoa Santa/MG

As crianças e adolescentes dos núcleos Campinho e Santos Dumont – Lagoa Santa/MG…

Leia Mais
31 de março de 2016
Visitas técnicas são realizadas em vários núcleos socioesportivos do Instituto Compartilhar espalhados pelo Brasil

Durante o mês de março a analista de projetos do Instituto Compartilhar, Kátia…

Leia Mais
24 de março de 2016
Em clima de diversão, crianças e adolescentes do Núcleo Central – Curitiba/PR conhecem o significado dos elementos que representam a Páscoa

Mistério, felicidade, atividade física e, é claro, voleibol resumem a comemoração da Páscoa…

Leia Mais
20 de março de 2016
Núcleo Natal/RN participa da 3ª Caminhada pela Inclusão em comemoração ao Dia Internacional da Síndrome de Down

Os alunos do Núcleo Natal/RN saíram pelas ruas da cidade no domingo, 20…

Leia Mais
4 de março de 2016
Viagem ao Rio de Janeiro/RJ marca formatura dos alunos do Núcleo Central, em Curitiba

A dedicação de mais de 20 adolescentes do projeto Núcleos de Iniciação ao…

Leia Mais
22 de fevereiro de 2016
Evento no Núcleo Natal/RN tem como tema principal a prevenção de doenças como Dengue e Zika Vírus

Com mais de sete mil casos de suspeita de dengue registrados na cidade…